quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016


Fone: +5581997593588


  .                                                                                                                                    .
.                                                                   .
POÉTICA
  .                                                                                                                                    .


.                                                                   .

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Temos um encontro marcado,
Sábado 18:00 horas com o programa
Poema Contemplativo
WEB AO VIVO: www.doceriofm.com

ÁRVORE.pdf​​

  .                                                                                                                                    .
.                                                                   .


Arte Literária

Aristóteles 
Afirmava que poesia é a própria criação.
Herder
Via na poesia a palavra primitiva revelada ao homem,
   por meio de inspiração divina.
Coleridge
Escreveu que as divinas verdades da religião,
   tiveram de ser revelada aos homens na forma de poesia.
Novaes 
A religião não é senão a poesia prática,
   a poesia é a religião original da humanidade.
T. S. Eliot
Aprendemos o que é poesia lendo poesia.
Mallarmé

Propunha uma definição. A poesia é a expressão pela linguagem humana,
   elevada ao seu ritmo essencial, do sentido misterioso do aspectos da existência
   ela dota assim de autenticidade nossa vida e constitui única tarefa espiritual.

Goethe 
Poesia é uma força que atua de maneira diversa,
   inapreensível, além e acima da consciência.
 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .



Teologia-S.E.I.Educação Religiosa

Filosofia-F.M.O.= Idealismo

Músico-O.M.B. = Violonista

 IDEIA.doc
............................................

liCENÇA POÉTICA
É a liberdade de o escritor contrariar as regras da gramática 
para atingir objetivos de expressão no tocante a Ideia.



  .                                                                                                                                    .
.                                                                   .

 Harmonia 
Inteligência-Luz-Caminho
Pensamento-Ordem-Ofício
Vida-Atividade-Atividade

ATIVIDADE.pdf

.                                                                   .


.....................................................      .     ..................................................

Árvore
À
Genealogia
Cobre-me com teus emblemas
Ramo do campo inspirado,
Teus frutos colhidos
São alimentos imortais.

Árvore que palavra
O nome cultiva a fé,
Estendes por terra
Verde canção noturna.

Tronco fixo na areia
Sementes soltas por iniciar,
Constelação do cosmo vivo
Métrica dos deuses.

Reges a grande brisa da tarde
Numa forma galgada,
Na branca bandeira da paz
Que calada ergues.

Cubra minha cabeça
Sua natureza eterna,
À inteligência teu criador
Seja o poema tua origem.





  .                                                                                                                                    .
.                                                                   .

Contato: (81) 9.9759-3588

IDEALISTA.pdf
*************************************************************



Opinião

Arte de sonhar
tua boca faz cantar

o segredo do universo.

Te dou opinião ao segredo
desvendar pra se guardar
um sonhar.

A natureza deste mundo
eu corro e abro a janela
dos olhos bem te vi.

Na escola escolhi a ferida
cicatrizada pra melhor
te olhar.

Corpo belo doce mel mulher
olhos serenos do sucesso
dos olhos bem te vi...

   ​                                                                                               

Canção

Poeta o canto escreves
nas ondas e os mares exaltas,
coração que pulsa canção
versos de um colorido extraído.
Fino perfume do jardim
divino fluir das pétalas criadas,
espelho de uma imagem ressurgida
triunfais da gloria luzente.
Permeia um cancioneiro mel
há inflamada coragem desenhas,
no peito alheio do humano nasce,
o teatro dos anjos.

                                                                                               

Campos Elísio

Fortaleza de saberes
no aquário centro há morar,
um pincel no abrir portas
para um navio ancorar.
Sonhos das reais medidas
abertas para os pés nus,
descansam nas sombras
em pedras molhadas.
Uma brisa ligeira a dançar
no mundo dos universos,
se faz em poema voantes
do sábio desperto.

 ​                                                                                               

Tempo de Letras

Uma geração de pulsar canção
que em horas rima uma cadência,
tu vez há volta do agora
pela lente de um pensar material.
Quântica fibra tua alma palpita
nos termos infinito,
tua voz ausente de jardins pisa meu ser
que a te saudade vivi.
Porção de um espaço,
o condor desenha tua sombra do arbítrio
nos montes onde um canto
anuncia ciclos de tempo de letras.


                                                                                               

Chuvas

Como tu cai chuva
banhando ao natural casa verde,
há flor da virtude todas na areia
macia cheiro é puro anis castanheiros.
Cascata de pingos
leva-me contigo o suor que adquiro
pertence há ti ausente águas
cristalinas ao espaço.
Fulgura no pensar sua força
transmite o invisível
paladar adocicados de termos singulares.


                                                                                               

Orvalho do Éden

Gotas de cristas percorre
há pedra e a terra,
como chuvas sobre os mares
as águas banha todo azul verdejante.
Noites e astros embalam
uma harmonia ditada pelo pensar,
que raízes fixam o mundo numa casa.
Pinta um quadro o pássaro
com a canção dos deuses,
numa atmosfera livre de
campos aos versos da liberdade.


 ​                                                                                               

Epigrama

Arte que passa na íris perdida
canto que a fada assobia,
quanto custa para nasceres
no coração humano, em flores.
Coberta pelo céu, enlutas a noite
qual ardil, em brilho de um dia,
pintas dias sem tempo há findar
compões teu relato na inspiração.
Profundas canções soltas pela estrada
que deitas na areia aos passos viajantes,
páginas de instantes,
quem sabe fundas um haicai seu castelo.



                                                                                             

Filosofia

Logos voa no canto
Elísio sem ardil, compondo abstração,
sublimidade de uns luzeiro
via láctea transcendente
circular sonhos etéreo.
Epigrama de uma intuição
objetivo um haicai há existir,
condores em abóbada aos montes
reverência o estandarte cancioneiro.
Subjetiva voz do ínsito vate
filosofia plasmada na aura,
sabedoria, extasiaste criação 
fremente orvalhar ao verbo cintilar. 


 ​                                                                                               

Corrente de Palavras

Efêmero não mora em ti
Subjetivo mundo que plasma
Objetividade de um dual ser.
Corrente de palavras dos mares naus.
Perfura o cântico sem ardor,
Na aura de um vate real
Plural semente do ego que mira
coroas dos luzeiros orientais.
Pelas odes forma o mundo versos soltos
Palpita há oração contemplativa.
por te palavras vivi vida
presente que alonga horas pra um infinito.


                                                                                               

Campo de Flores

Mergulhadas sementes
florida perfume onde rouxinol paira,
beleza própria da terra fértil
corredor encantado há saudar.
Campo de flores formado onde
o amor espalhas cantando,
canção de uma musa divina
no peito o homem sublime revivi.
Os passos seguem jardins naturais
compondo ideias em perfumes plurais,
eterno lugar sobreviveu nos areis...

                                                                                               

Quadro de um Mundo

O belo quadro natural das árvores,
planta, animais pincela uma íris que
leva ventos solidário.
Nos campos, solares luz
cobrem gramas e riachos,
e o peixe contente há saudar
alvorada nas asas da borboleta.
Céu de estrelas, cobertor sonhador,
por vias terrestres há labutar nos córregos,
trilhas estética modelar.

                                                                                               

Goethe

Alemanha de te vem um canto solidário
há natureza de luz sem igual
em escala germânica.
Goethe estandarte livre
de poesia, é jardins sublime
com os pássaros há memória
adormecida divina e soberana.
Canto que da Europa sorrir
dando sinal direto de puras
roseiras vermelhas,
teu orvalho nobre desperta 
um mundo sonhador.
                                                                                               

Escritos
Escrevo versos soltos
como folhas nos ares primaveril,
as quais caem em terra
tão macia em chuvas noturna.
Versos por versos
vão os mundos nas lentes que aumentam,
há vocação do alto céu por vingar poema
musicais. Lá vem em chuvas
históricos espaços
translúcido, da gaivota há mirar
galhos no pouso seguro do cosmos. 

                                                                                               

Atlas dos Nomes

Corre o canto da palavra
aquecido pela voz,
numa direção plural
pelo verbo nomeado.
Fogo sem sombra
imagem de fina qualidade,
é o beijo do céu terra
há derramar sua glória.
Princípio de nomes indicados
qualificada posição soa,
pelo que é somado
em casa da singular direção. 

                                                                                               

Um Poema ao cair da Tarde

As tardes com sombras
um soar de canções profundas,
erguendo montes vazios
de ego tristonho.
Vocábulo de bússola
penetrada alma que lê primaveras,
como hinos a divina natureza
manifesto em colorir olhares.
Cai a tarde o piano toca nas veias vivas,
do ser existencial, toque circular eterno. 
                                                                                               


Valsa Vianense

Corrente forte indicando
trilhas que permeia
construindo letras
montes altos.
País historia presente
valsa vienense,
flutua pensante há cobrir
cabeças e corpos compostos.
Uma lira abre hinos
de luz e verdade
no pensador resta raízes
que desce reverenciando todo um ser.


                                                                                               


Flores de Pindo


Na descida da montanha
desce o orvalho macio,
espalhando sobre há virtude
todo mar amante magistral.
Nasce o sol acolhedor
em outra aragem modelar,
belo caminho desperto
ao sabor eterno da relva.
Campos de rastros perfeito
plumas de passar nuvens,
canteiros único na face
que há luz ressurge nas manhãs.



                                                                                               



Aquário do Espaço


Sigo por um caminho florido
pois teu pé por aqui passou,
numa verde grama munida
do teu calor vindo além-arco íris.
Passo por fonte onde pedras
forma um meditar por ti,
no campo risonho o que resta
é um espelho cristalino a fundisse.
Aves no alto, asas abertas
dançando o canto celeste aberto,
põe em teus braços o jardim
que um dia viveu no futuro contemplar.


                                                                                               

Cosmonauta

Velejar entre águas aberta,
há naus chegue seu corredor para muito além
fronteiras abrindo braços sua liberdade.
Vá meu barco que contigo voo para nascer 
nos Campos Elísios ao som
do ofício de contemplar estrelas
no circulo vibrante dos zéfiros. 
A mover estou nas asas do condor 
Há praticar seu balé asteca, 
São ondas que penso e logo sou, 
Um pássaro ressurgido das pedras.

                                                                                   

Poética da Virtude

I
Poética mundo da beleza
Onde raios de luz alcança alvos
No despertar das horas singulares
Que compõe nível azul dos mares.
II
Tão linda manhã que acorda sonhos
Como um braço ao levantar do sol
Que descende dos rumos descritos nos livros
Qual poema expressivo no mapa visível.
III
Numa fonte há criação, no espaço o belo
Pelos campos Elísios o caminho da liberdade
Mas que presente na casa circular verdejante
Que pulsa fôlego vívido nas cores.
IV
Neste rio que corre tecendo destino
O pensar que em virtude veste primaveras
Abrindo para o mar ondas cantar
O cântico Áurico, princípio da forma.
V
Poética mundo da beleza
Todo real te contempla sublimidade
Que em simplicidade lhe escreve estética
Em coração há vivenciar das palavras seus versos.


 ​                                                                                     

Estrela da Luz

Luzeiro feito criação fortaleza do espaço 
Figuras nas almas a poética há frente.
Desses a terra uma casa ao mortal 
Transferida em realeza uma estrela, 
Ponto claro ramagem acordada beleza invejável 
Muitas estrelas muitos cantos 
A soar no recôndito ouvido dos pássaros. 
Claro astro véus a terra 
Abarcando desde o infinito 
Áurea matéria transcendental. 


                                                                                    

Asas Livres

Falo de um canto
contido no pássaro humano,
escrevo entre flores
nos campos Elísios.
Canção noturna percorre
o poema em gestação
há cumprir o livro vivo
das ideias permanente atuais.
Com palavras os mundos vão,
no voo do pássaro
há levar em suas asas
cântico jamais escrito.


                                                                                              

Virtudes

No círculo natural 
vão os mundos vendavas
tanto vento norte
trazendo fogueira noturna.
Olhando a terra azul 
numa árvore a sombra 
folhas solta 
sem espinhos singulares.
Pulsar de voz  
encantada noite filha
aos Movimentos iguais
das chuvas primaveras.
Soltando sentidos 
corrida fugia nas mãos 
apertando coração 
as plataformas renascidas.

                            
                                                                                               

Outros Mapas

Na minha cidade circula
Uma teia humana,
Que em outro mapa
O desenho faz há caminho.
São ruas e estrelas
Qual carrossel circulante,
Entre o mundo e o mudo
Um pincel faz deitar unidades.
Corpo invisível harmônico
Qual mão há sustentar matéria,
Prumo do relógio que carimba
Povos na brisa brasileiros.

*************************************************************

 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .
Em minha aura estar a luz do meu Deus que caminha.
Em meu espírito mora o pensamento de compor. 
Em minha alma a vida da poesia canta.

 .                                                                   .
Poesia Hebraica

O Mestre Mokiti - Okada orienta. (A inteligência em si manifesta o espírito da palavra). Acredito que temos grandes mestres que sobre muitos temas foi falado nesta nossa existência. A humanidade carece sempre de ensinamentos para seu progresso, lemos que a busca tem que ser perseverante nos melhores livros, pois o campo deste mundo precisa e sempre precisará da palavra que e o pão da vida, pão este que lembramos na pessoa de Jesus Cristo nosso mestre, suas palavras que é a própria razão da existência de um religar criatura ao criador. Espalham-se em todas as escrituras no mapa de brilhantismo, os ensinos dos mestres dos mestres indicando um único caminho que é a verdade que liberta, no evangelho de João ele diz, pois conhecereis a verdade e a verdade vos libertara, perguntamos que verdade é esta, sinto que é a nossa própria consciência, pois ela reflete a realidade de tudo, nosso livre arbítrio é usado quando obedecemos a uma lei maior a dos céus, lei esta não presente nas escolas da mentira mais nas estradas do amor. Gosto de comparar uma boa notícia sendo um presente, uma partícula do infindo mundo de um Pai Celestial, nossa genealogia nos mostra tal direção à de um Pai Celeste, pois através das gerações chegamos ao criador, não a um ser criado que o mundo retrata mais o próprio ser exaltado na figura de um homem no sacerdócio infinito de obras no espaço pelos céus infindos, a maravilha da sabedoria podemos encontrá-la principalmente no campo das artes, olhamos o céu à noite sua grandeza com seu brilho, forma a arte vista da criatura ao contemplar o Criador, a poesia Hebraica reflete em sua forma original há literária formas de reter tudo que for de bom, exemplo.

Ø Paralelismo, é um verso ecoando no outro que acompanha, números 23:19.
Ø Quiasmo  é um paralelismo invertido, salmos 124:7.
Ø Imagem figurada usa-se sementes de mostarda, óleo de prelo que nunca se esgota lâmpadas acesas para um noivo a chegar.
Ø Dualismo, um o duplo sentido na poesia, Isaías 2:1-4.

A Beleza existente nos versos das escrituras sagradas liberta a alma faminta de um existir, pôr isto estamos em busca de um mestre, o cristianismo é a essência de todos nós, um discípulo deve andar nos passos de um único caminho que é a do saber maior, do alto, do céu. Podemos comparar uma pérola de grande valor a liberdade que a nas palavras do grande Jeová, guardando os seus há um lugar melhor de vitória, da sombra da luz criativa. A beleza da poesia contida no saber das boas novas eleva nosso espírito humano a salvação lutando por tudo que há de sagrado no espaço centralizado em um Deus presente, em um pai, em um Filho presente, em um Espírito Santificado. Os dons que nós somos abençoados trabalhados de forma clara capacitara cada filho do altíssimo ser de pura luz de exemplar vida. Cada talento encoberto pela falta de atenção que dermos a ele poderá calar a vós das bênçãos do céu, fica claro que devemos buscar sabedoria nos melhores livros, trabalhar nossos talentos, contemplar a natureza Divina em seu estado original, há alma que perceber que o universo e belo só poderá ver com seus olhos um Pai de gloria. Todo o conhecimento que adquirimos nesta existência a de surgir conosco, o mapa da nossa vida em uma bênção patriarcal levara de volta aquele que nos criou, sim o grande Eloim, Cristo disse passará o céu e a terra mais suas palavras não há de passar, Sejamos o cristão, o discípulo do caminho real do mestre dos mestres vivendo unicamente com o pensamento voltado para a grandeza do céu e da terra. Os livros que conhecemos na bíblia como poético dentre eles citamos:
Ø Os livros de Jô ao lermos se ver a grandeza de linguagem, pois trata de um homem que alimentado de uma fé visa em um futuro libertação de sua alma do inimigo de toda a grandeza criada.
Ø O livro de Eclesiastes estar cheio de palavras enriquecedora, nele se ver os sentidos contidos nas escrituras onde o autor inspirado, vê uma salvação expressa em versos.
Ø Os livros de salmos de Davi são cânticos e nesses cânticos, estão presentes guerras e dentro dessas guerras existe uma paz, aonde virá nasce o leão da tribo de Judá.
Ø O livro provérbios em todos os versículos encontra a palavra de sabedoria indicando o caminho da razão, numa inteligente criação do criador com a criatura.
Ø O livro de Isaías revela um homem presente na própria identidade do salvador, Isaías mais que ninguém escreve sobre o verbo da vida, vejamos em Isaías capítulo. 53
Como se vê temos parábolas, crônicas, cartas, cânticos, nas escrituras indicando a salvação do povo numa Sião exaltada, um verdadeiro poema contemplativo. A grande parte das escrituras é documentada de relatos vividos por homens e mulheres inspirados, trazendo até nós os céus de divina realeza. Pensemos nas palavras do apóstolo João discípulo amado de Emanuel, no princípio era o Verbo, esta palavra hebraica tem como fundamento à forma onde tudo se origina, Ele o Cristo foi o criador numa maravilhosa narração de fatos. A obra da Teologia leva até os confins as boas novas das escrituras dos tempos eternos, pois o tempo são partículas infinitas de um grande todo. Abraçamos há liberdade não à escravidão à paz não o ódio, e a beleza em forma de versos. A cultura vive presente conosco seja da Índia, Israel, dos Estados Unidos, do Egito, ou do Brasil. Esta cultura refletida no conhecer da palavra alimenta a todos na forma saudável de reconhecer em tudo a mão inspirada da Inteligência com dons divinos, há alma alimentada com o pão da vida surgirá na manhã da primeira ressurreição e verá tudo que alcançou na coragem da fé presente abrindo um leque de princípios enriquecedor e de brilhantismo.
 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .


Filosofia
O idealismo do filósofo grego Platão resulta de sua crença no mundo das ideias (Topos Noerto), um mundo de seres permanente, superiores às coisas físicas, transitórias, de que os nossos conceitos seriam reflexo. Nesse mundo de ideias, ou seja, idealizado, encontram-se os modelos de beleza de justiça e de bondade, e para alcançá-lo havia um caminho: a inteligência, que nos colocaria em contacto com as verdades eternas, superiores às coisas sensíveis e materiais. Para Platão, a alma vivia no mundo das ideias antes de seu nascimento na terra, e lá possuía um conhecimento direto da verdadeira realidade, conhecimento este que foi esquecido quando ela incorporou ao homem. Somente através do conhecimento (inteligência) poderia a alma readquirir a sabedoria perdida. O amor platônico, de que tanto se houve falar, nada mais é que a saudade da verdade do bem e do belo perdidos, quando o espírito se materializa.
 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .

Um Conto Instrumental
(Conto Infantil)

Como toda história a começo e fim, contarei a história de um dos melhores amigos do homem o violão,
instrumento que tem vida própria nasceu quase que exatamente na Espanha fez inspiração em
Portugal e deu o luxo de ser o melhor amigo no Brasil. 

Era meia noite a cidade dormia seu sono inspirador na lua onde estrelas mudavam de posições diversas. Ao lado da cama quieta nosso amigo descansava de um dia de jornada tinha escutado os mais belos sons, e todos que ouviram sua harmonia se embelezaram até mesmo os que lá distante viviam, encantados ficaram, pois uma brisa ligeira havia transportado ritmos inigualáveis. Fazem parte de vidas perguntas certas como um grande amigo pode fazer tantas maravilhas em meio a ruídos. O amigo levantou-se cedo esticou um pouco as cordas vocais e ao primeiro acorde sorrio o mais dos belos sorrisos deslizou em seu braço tempo certo, abrindo sua boca sopra o fôlego da vida, foi estalada um pouco sua mão, todo o seu corpo perfeito em harmonia feliz deixou-se vibrar. Vestiu sua roupa que sempre costumava usar ao sair, andando ou sendo carregado pôr sua companhia maior a música, fez senhor em um lugar tão pequeno neste dia mais tão glorioso, as pessoas que ouviram ficaram despertas da razão do ritmo da vida. Característica não faltou ao descobrir que o amigo tinha um passado presente e um futuro. Abrindo um livro de história viram seus apogeu. Sinceramente falando opiniões foram feitas dos mais distantes lugares. A cidade a noite dormia já ao seu som, cidade pequena um interior pacato cheia de diversão natural feliz agora, pois nela já morava maior estrela o amigo violão. História como esta é viva entre seres que pensam. Aplausos ao mestre bem quisto novidades jamais a de faltar no reino deste lugar, coragem e entusiasmo foi espalhadas, assim todos contentes reverenciavam o senhor dos sons, um pouco quietos agradecia aos melhores momentos de suas vidas. Era noite na cidade nosso amigo recolheu-se em seu quarto a música ao seu lado serenavam os roídos, silêncio o violão estar a se transportar no invisível aos ouvidos do equino, pois seu forte é sempre lembrar que o movimento melhor para a terra é se materializar.


 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .
Criação
( Conto Infantil )

Houve na cidade do país chamado de Brasil, um fato que tocou a muitos, nasceu uma criança que gostava  por natureza da poesia, pois com seus poucos anos de vida, realçava todo um estilo pelo que a de melhor nas palavras. Com uma folha de papel traçava aquilo que lhe convêm, no mundo repleto de amores não correspondidos, seu pulso era marcado pela princesa que passava pela porta, sempre quando saia da escola. Transferindo sua enorme vontade de compor versos nasce no dia ensolarado sua CRIAÇÃO. No pensamento surgiam palavras, ideia, opiniões cheia de luzes palpitando do seu interior. Construiu versos em papeis de segredos, que só o amor conte a chave para um oceano das artes. Os anos passaram, ficando na estrada tal dom produzido, repleto de flores, onde o perfume decifra inventos sem iguais. O menino agora reflete a imagem no lago onde borbulha o primeiro instante da nobre arte de fazer versos. Houve sempre um momento de inspiração em sua jornada, com seus amigos e amigas, onde guardava voz dos brinquedos e das florestas, terra e chão. E o mundo foi concretizado em apuros e vazios, e completo agora mora na rua chamada País.
                                                                                                                                    .
.                                                                   .

Luz Divina

O mundo conhece o natal, pois ele representa uma paz  não comum fixada na terra, nascido um menino logo vem há festa da chegada plena da glória maior. Todos os encontros nesta festa sempre é motivo de alegria, mesmo aqueles que passam  por dificuldades, encontra uma passagem para um sorriso desabrochar. Vem há festa maior de todos, numa fé iluminada estar um  Deus sempre centralizada no ser maior,  que espalha na terra o vento inspirador nas máximas letras da poética. A uma fé no coração humano que desperta para céus de níveis sublime, a luz da canção que abraça povos é culturas afins, por captar os votos únicos de um bem querer. E assim o natal chega às chuvas do alto em beleza sem igual, compondo as linhas de um quadro de paradigmas, no modelar da razão humana, de sentir a pureza vinda da natureza. Parabéns ao filho de Davi.

 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .
Meu caminho

Nasci em uma cidade do interior de Pernambuco chamada  Carpina, já na minha infância admirava a arte na literatura compondo versos, musicando letras e escrevendo poesias, mesmo em idade infantil tentava escrever meus primeiros versos. Aos doze anos de idade meu pai me leva para o Rio de Janeiro. Muitas idas e vindas do norte ao sul. O Rio de Janeiro inspirou escrever poesias já guardadas em minha alma, que aflorou mais e mais. Minha formação autodidata em literatura abril um leque para um mundo onde era retratado um passado de história no meu mundo pessoal. Autodidata com pesquisa, mergulho no mundo da natureza divina. Escrevendo para a internet como poeta virtual trabalhei  um perfil do que poderia me tornar um poeta do caminho. Nasci em 1963 em 02 outubro. Minha infância voltada ao tempo com minha mãe avó Olívia, e os livros que sempre fizeram parte mostra-me um Caminho dos rumos do universo. O estudo na pesquisa da estética em poesia abriu uma passagem para minha volta às folhas de papes inspirados. Escrevendo para várias páginas na internet. No momento penso nos prelos manuscritos, como poeta virtual.

 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .
Existência
O princípio da vida estar nos elementos que em si tem existência própria, 
elementos são partículas que podem ser vista através do microscópio,
tais partículas se organizadas tem em seus corpos sua forma,
para que isto venha acontecer, tais constituição precisa estar em ordem,
na esfera que possui seu valores. Assim o átomo tem em  sua propriedade,
no devido campo que atua, elementos que se organiza em formas que hoje,
podemos ver até que ponto tudo vem a surgir.
Valmir Viana.
Pensador
Ofício

 .                                                                                                                                    .

                                                                  
Canções
Valmir J.N. Viana.
Autor

 .                                                                                                                                    .

                                                                                

Em Teu Mundo Belo

Linda história do amor
Você mim conta a amar
Uma natureza linda
Mim fala da finda lua.
Em teu mundo belo
Só a um paraíso
Teu corpo nas formas
Do meu olhar
Torna-se canção
Nas linhas dos papeis.
Em teu mundo belo
Só a um coração
Caminho para os ninhos
entranhas encontrar
Um gosto na paixão
De um grande amor.
Em teu mundo belo só
a saída da beleza.

                                                                                                        

Um Olhar 

Ventos da liberdade
Vêm ao ar traduzindo melodia
A harmonia revelou o
Mundo fazendo-se
Em poesia.
Um olhar a música
Um olhar eternamente
Vive a música.
A canção será o amor
Com a natureza da paz,
E virar, mas uma vida
Cantando o poema
para só um olhar.
Um olhar a música
um olhar eternamente
vive a música...

                                                                                                        

Eurídice
Caminho ao teu passo no só passo não me tente
Não posso olhar os teus olhos
Da natureza
Espinho está a minha volta nesta selva.
Eurídice, Eurídice
Digo não ao ardil.
A lira entoa o canto da melodia e da dor
Você se vai mais vou te buscar
Com os versos da terra.
Mesmo esperando tuas palavras
Ao meu ouvido sigo
Caminhando por uma estrada
Até chegar ao teu ninho.

                                                                                                        

Iguais a Nós
Quem será igual a nós quem poderá cantar assim
somos iguais a nós na vida
numa só voz.
Cantei a mesma música que nos
velhos tempos aprendi,
chorei como um menino
nem mesmo assim deram-me o viver.
Mas quem sabe que simples mente
somos iguais a nós...

                                                                                                        

Esperança
Quando o amor vem quando ele se vai
nascem sentimentos
de um violão sair
a música de um cantador
Vem então se segure
nesta canção que fala da vida
de nosso amor
e enfim unidos vamos ser
para o nosso amor renascer...
                                                                                                        

Vida
Vida como eu te quero
és a razão do meu viver
as flores que encontro no jardim
é flores que preparei com amor.
Cantando nesta vida eu vejo
cicatrizes em rosto de alegria
na criança de encanto eu vejo
a esperança de um dia.
Cantando nesta vida eu vejo
outra vida que nas minhas andanças aprendi 
ao mirar na escuridão em plena luz do dia.
Quando todos entoarem o canto da paz verá
em muitos olhares, mar desaparece
na aventura de um dia.
Quando vocês ouvirem falar
do desaparecido e que o silêncio da noite  
Acumulou ódio no mar da paz.
Meus amigos onde estas sigo a lhe encontra
vou à procura com uma música
a minhas mãos.
Vida como te quero és a razão do meu viver
as flores que encontro no jardim
flora flores que as vi crescer, com você...

Valmir Viana.
                                                                                                        

Encanto
Partindo em meios vadios 
se faz conhecer uma voz solitária
venho até aqui
mostra a canção da razão.
Canta a vida o amor
e se faz união da paz.
A fantasia às vezes faz
a melodia de encanto
não importa o que os
outros pensem.
Quando toda a humanidade viver a simples
igualdade um dia não haverá mais desunião.

Valmir Viana.
                                                                                                        
Cantar
Os meus sonhos nunca findaram 
sempre fora de luta
quando eu volto a me encontrar
um vazio é algo de viver
mesmo não tendo fim todos
os meus sonhos
algo faz brilha
Cantar para amar
cantar pra lutar
uma estrela aparecerá
Quando saíres na madrugada
não tenha medo do infinito
o espanto só te espanta
sempre neste palco.

                                                                                                        

Ela é do Brazil
Um lugar sonhado encontro em você
como é pra me ver em ti
porque causa não mudo
o nosso mundo
o que me causa paixão é tua inspiração
não posso querer apenas
a luta do contratempo.
Amazônia é do Brasil
Nesta causa continuarei
nesta causa pôr ti
tentar fugir para o erro
serei sempre errante
Você mim olha
eu sonho a favor da paz
o engano jamais virá em mim você ficará.


                                                                                                       
À Kelly
O mundo que renasce trás com ele a natureza
da primavera aberta
com seus rios cachoeira
cascata bosque e o jardim
com a menina nasce o sonho
da terra bela azul.
Com a Kelly nasce o amor
com a Kelly lá se vai a minha dor
o Kelly ensina-me a amar
nos teus passos da paz ensina-me a andar.
Tua face mostra o basta
de tentativas tão inúteis
ao falar tu revelas
provérbios salmos em cantares.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Um gesto de Amor
Nas frases encontro sentidos 
na poesia aonde vai você
talvez nesse gesto de amor
eu ti diga o que é amigo.
Em todos os sentidos a harmonia
mas como posso te falar
em um gesto de amor.
Cante a música que irá
permanecer
e assim seremos.
Simples olhar no gesto
de amor
simples olhar em gestos de amor.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Minha Esperança
Quero te falar com os olhos
de gente porque não vejo
nada que me faça para
de todas as aventuras que passei
eu vi tudo em você.
Amanhã vou te mostra
algo novo que no mundo
sempre é belo.
São tantos ardis que não da acreditar
mas minhas manias são grandes
porque você não vem para onde estou
pra construir o nosso belo paraíso.
Dou-te um beijo de prova
para nosso mundo nascer
da beleza perpetuada.
Vamos seguir a estrela nossa
façamos o destino da vida,
E vejamos que nós somos 
o espelho da eternidade.
                                                                                                        

As Saídas
Quem me perguntar quem eu sou 
vou afirmar jamais fui
quando busco a união.
Pensamentos aos milhares
em milhas de olhar
em uma terra de caminhadas
dos ninhos do fim.
Toda a natureza bela nas avenidas
de uma casa chamada pelo nome
de corpo família
com um ideal na alma
amar para falar
das mulheres do mar.
Todas as palavras
do pensamento 
da voz simples do violão
as formas existentes
de todos os nomes.

                                                                                                        

Rio Negro
Todos os caminhos me levam a ti
todas as músicas que se a de ouvir
será introdução apenas
daquilo que for ser.
No rio negro a luta é no sonhar
com os olhos abertos.
Acima de nós temos um céu
coberto de estrelas que tal
cadentes em seu mergulho
revela o mundo que é apenas dela.
Á frente de nós temos um céu
coberto de estrelas que tal cadentes
em seu mergulho na paz revela o mundo
que é apenas dela.
O mundo se faz dentro de nós
o preto esta contida
neste rio natural é branco
de vida dentro da nossa própria casa...

Valmir Viana.
                                                                                                        

Simples
Vejo o mundo que esta girando
um infinito da vida encontro
na canção.
Liberdade para a esperança
sofrida de tudo,
universo de coisa esquecidas além.
Procuro algo naquele que me explico
como alma de multidão unida
assim serei.
Alguém na eternidade da arte
algo se deixa de bom para os iguais
Você o terra que canta o canto da terra
lamento ouve de tanto viver,
tão nua a manhã compõe sua música
no violão na dor de tanto viver esta vida.
Céu e mar o azul é da terra
paz e amor à união são da terra
Ana Botafogo com um risco se fez a terra
Gilberto Gil o esotérico é da terra
simples olhar. Terra...

                                                                                                        

Apenas Um Coração
Procurando meu lugar esperado
no vulto da alma esperada
olho ao meu lado as almas toleradas
não encontro o final destino
mas sou fera eu não desisto
eu prossigo ao verme ao lado
da minha grande paixão.
Apenas um coração
do favo do meu
da abelha em sua colmeia.
Contemplo olhos teus
tua formar tão contida e descanso
na tua hora,
o meu nome junto ao teu
forma um elo
quanto a teu beijo é só uma beleza.


                                                                                                        

Miragem
Miragem o pão sobre mesa
nas mesas fartes e sadias
que o mundo não percebe
miragem levantemos e andemos
nas andanças da vida prometemos
a única união, miragem olhemos pra vida
nas palavras da natureza harmonia do amor.
Miragem fala-se a quem
não ao intruso e sim a canção.
Miragem o pão sobre a mesa
nas mesas fartes e sadias
como o entender do amanhã
e o mundo gemendo no grito na vida
um lamento de mais um dia do passado
o ar tão esquecido 
na sombra da alma tolerada fingimos paz,
e correndo para o ideal no mar azul da esperança 
lá vai uma agonia 
e morrendo as palavras da garganta
nascerão outras produzidas
na isolação do esquecido.

Valmir Viana.
                                                                                                        

O Navio da Paz
O navio da paz esta indo com o mundo seu
quem vai nele
são as esperanças de um melhor
quem sabe amanhã o mar
não se irrite para enfim chegamos
no cais, mas que seguro.
Estou indo no navio da paz
a amar sobre as ondas do mar.
O medo é como o nada
como a pura cor da manhã
que da vida ao espírito
da alma do amor,
como tudo acontece
assim tudo é o futuro a dominar,
Luzes da união.
Estou indo no navio da paz
a amar sobre as ondas do mar.
Valmir Viana.
                                                                                                        

Infinito
Quando encontro meu mundo
sonhado e as formas tão esperadas
desabrocha uma flor dos olhos teus.
Quantos espinhos agrediram o ninho
a música brotou em fim.
Busco no horizonte aquela fonte
que todos os meus anos foram inspiração.
Arte se faz na vida
na total formosura
nossos pensamentos
será um quando luz
surgir em seu fim.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Encontro
Mundo de fatos tão pouco situados em caos
Onde ficara a situação clara melhor é ver o ato.
Como no país a terra também a esperança
Você palavra cortada e central na areia movediça.
Se o conto teu destina a jornada escrita
Onde ficará a memória nua limpa do adeus.
Vá indo destino que começa tudo outra vez
paz te envie a natureza morta sinto vida a teu viver.
Face oculta na mira certa teu rosto
Espelho rio calmo a contemplar
Rosto de anjo em seus encontros.

Valmir Viana.
                                                                                                        


Em Algum Lugar
Os meus sonhos nunca findaram
porque razão
o vento traz paixão
tão longe como qualquer questão
no avanço vou encontro.
Como o mar flutua com o som que viaja.
Tentar fugir para perca perdição
é a arma do derrotado
vamos cantar com seus olhos ao meu
coração a viagem
que busco no teu corpo.
Como o mar que flutua com o som que viaja.
Mas meus sonhos nunca findaram
porque razão esta causa se chama vida
em muitas vidas em algum lugar
O amor chegou e fez morada.
Como o mar que flutua
com o som que viaja.

                                                                                                        

Cantando a Lua
Você mim pede uma canção
eu ti oferto,
a natureza poesia
faz um verso unir.
Como um jardim de vida
realça a crença
de manhãs atrás
da noite brinca.
Como em todos os cantos
vislumbro teus olhos
cantando a lua
viver a luta.
O país é só vida
no conjunto de ser
talvez vivendo
olharemos o mundo sim.
Vai comigo paz
eu me vou é com você.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Brilha
Como um raio você caiu
na minha vida
e foi se tornando
cada vez mais forte
o medo de perde
me renascer.
Não leve a incerteza
leve no coração.
Talvez amanhã eu possa
fazer uma estrela te guiar
pra mais forte eu gritar
e fazer da noite seu brilhar.
Não consigo apagar teu rosto
e a conquista será segura.
No monte bem próximo
consigo ver o olhar
tão longo dos teus a acender.
Só pôr isto quero
mais e mais você.

Valmir Viana.
                                                                                                        

No Ar

Vou seguindo pelo teu caminho
a procurar há cidade é tão pequena
que percebo em tuas mãos.
A tua face na lua que nasce
que tal brilhante nas ruas casas castelos
vislumbre aceso.
Mesmo com todas angustias
sigo a compreender vidas passadas presente e
futuras o nome escrito.
Nós na massa gente tristonha
no mesmo caminhar vão fachos atendendo
a palavra ação.
Vou indo aos teus passos
até encontrar em muitas situações claras
mas como eu te percebo.
Se eu sou o teu amado guardado no espaço do teu ar 
que diz a palavra que acerta no alvo, você.

Valmir Viana.
                                                                                                        
Os Sentimentos
Que mundo belo natural
pulmão do mundo
Amazônia.
Pantanal rico eterno
como ato de vê
o viver.
Todo verde da esperança
fica no templo
do coração.
Homem homem do vem da terra
ela é sua mãe vida.
Brinca criança da felicidade
eu guardo os sonhos
do seu jardim.
No ar que respiro
nascem os sentimentos
de ecologia.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Neste Canto
Eu mim lembro quando aqui cheguei
todos cantavam a mesma canção
ventos mostrou a beleza
com cata-vento no ar.
Sou o que pode ser
em todas as manhãs
aplaudo a sintonia
na sua beleza.
Vamos encontrar o paraíso
na qualidade do presente
no alvo da miragem real.

Valmir Viana.
                                                                                                        

Acordei
Moça bonita eu acordei
nessa manhã
pronto para cumprir o teu refrão
olhei as estrelas lá do céu
e fiquei a pensar. Nas mil canções do sonho belo
pôr se fizer neste momento
tão sublime.
Como o mar que cobre o ar
assim sendo busco
tudo que há de puro
na ausência paz fechar
o templo do teu corpo
que se faz natural.
Moça bonita não sei, mas o que fazer
longe do carinho
que mim prende a você
eu vou é mergulhar
para momento tão sublime
aquecer teu corpo
amando e fazer
renascer um sonhar.
                                                                                                        

Brisa Ligeira

Todas as músicas que canto
vem de você
todas as músicas
na brisa ligeira no voo livre
na chegada sem despedida
esta guardada mais um dia
Todas as músicas
é você toda a música,
mergulho na paz
visão aberta
só vejo no porto seguro
vida além vida...


Valmir Viana.
                                                                                                        


Canção
Ao compor essa canção
Eu reflito uma lição
Quando acordas
Com os teus sonhos
Da manhã.
Foge a noite
Com seus astros
Eu descubro
Teus braços.
Que a melodia
Os passos rever
Tua imagem
Há memória.
Tua voz ecoa
Em meu ser
Teu semblante
Da cascata ao nascer...

Valmir Viana.
                                                                                                        


Japão

Amor igual ao teu 
não encontrei 
no tempo invisível 
em teu mirar, 
que poema contemplativo 
ergues céu acima. 
Pois bem lá vamos nós 
na estrada destas terras 
que nos encerra. 
Cantamos no Japão 
sublime canção, 
unindo o Brasil constelação. 
Infinita nossas vozes vindas há soar, 
erguemos um estandarte 
a igualdade no abraço 
fazendo filosofia. 
Vamos ao mar navegar 
o navio estar a nos levar 
nessas águas pacíficas 
a remar, e o rumo destas 
águas, nos indica que nosso
amor é um mapa transcendental. 
 .                                                                                                                                    .

.                                                                   .
      
    Senhor Regente

Ao lado duma ideia consolo
Nas asas que o vento passeia
No pensar da simplicidade de reger
Influência virtuosa além matéria.
A uma mão amiga companheira
Que flutua qual voo  de um condor
Há perpetuar espaço contido ares
Melodia da cadência majestosa .
Senhor regente há intuir o Ser
Que na transcendência canção atinge.
Pelo Eu há dar origem no singular
Que por ser simples a cresse universo.
Duma coragem o véu se abre
Como um lutar de cores libertas
O caos em harmonia sempre oferta
De si o mundo da luz.
Nos campos áuricos uma música
Que das palavras descreve natureza
Como desenhar linhas harmônica
Que nas águas faz nascer humano Ser.
 .                                                                                                                                    .
.                                                                   .


Valmir Viana. - Citações do Google Acadêmico


Fonte: Google Imagens Documentário


                                                                    Brazil 2017                                                            

Valmir José Nunes Viana
.                                                                                                                                    .
.                                                                                    .
 Poética
********************************* 

O curso final
da onda é a pedra,
em formação.

*********************************

 Verso que pinto,
no calmo papel mora
as margens de um rio.


*********************************
Homilia de luz
sublime sabedoria,
pousam na alma.


******************************** 

Um adeus passa,
entre olhares fixo
na mão do agora.


******************************** 

Vento de curvas
há indicar flores,
são leves sementes.


*********************************

A força do mar
nas ondas do verso
declara uma pluma.


*********************************
 
Canta a brisa
um céu solidário,
as margens de si.


*********************************

Na luva há mão
contida pela forma
descansa em paz.
*********************************

Um olhar de luz
entre nuvem cobre,
estrelas ausentes.

*********************************

Semente da flor
ergue cores suaves,
ao mapa o belo.

*********************************
 
O vale vence,
tempo largo e vivo
do lírico ser.

*********************************
 
Paz suave
dorme em nuvem
última essência.

*********************************
 
Uma tarde meiga
medita suave flor,
bela de paz.

*********************************
 
A primavera voou,
há deixar flores,
na terra lunar.

*********************************
 
Os mares azuis
acolhe verde pedra
solitária, alegre.

*********************************
 
Silêncio da brisa,
canto único, sublime,
cala som vago.

*********************************

Beija flor só
ama mel, perfume.
Asas de folhagem.

*********************************

Canta pássaro
canção de sonhos,
vinhas de poema.

*********************************
 
Campos amável,
olhando margarida
abre caminhos.

*********************************

Calor de verão,
manso, e bem vindo
filho único.

*********************************

Qual dia belo
é a bela natureza
fincando sementes.

*********************************
 
Quero há lua
que de luz medita,
o perfume do céu.

*********************************

Alma simples,
harmonia ao sonhar
vestes no azul.

*********************************
 
Intenso ser fiz
no universo sentir
ao prisma luzir.

*********************************
 
Caminho verde.
trilha azul de
água em liberdade.

*********************************

Uma poesia fixa
nos ares do Cosmos,
sombras e criação.

*********************************
 
A fonte azul
Aura inteligente
voa por terra.

*********************************

luz solar pura
escreves histórias,
no mapa da origem.

*********************************
 
Monte sublime,
do alto divino Ser.
Clara síntese.

*********************************
 
Um adeus passa,
entre olhares fixo
na mão do agora.

*********************************
 
Os navios dança
e pelas águas flui
entre céu aberto.

*********************************

Folhas há dançar
numa noite quieta,
toda vista entoa.

*********************************
 
Um anjo há voar
na poesia azulada,
voa seus mares.

*********************************
 
A chuva chega
no claro espelho
da noite lunar.

*********************************
 
Palavra designa
as ideias simples.
O nome um Ser.

*********************************
 
Mares dos ares
assenta no azul,
as reais nuvem.

*********************************
 
Formas humanas.
trilha invisível
da origem simples.

*********************************
 
O Ser único
planta seu jardim,
na fonte clara.

*********************************
 
Puro existir
há alma verdadeira,
anda em sentidos.

*********************************
 
Jasmim feliz
teu perfume sempre
é belo sentimento.

*********************************
 
Uma vida fértil
de natureza plena,
é glória única.

*********************************
 
As folhas dança
no vento de outono.
chega no tempo.

*********************************
 
Pura canção,
primeira harmonia,
da verde estação.

*********************************

Essência solar,
filosofia aberta dos
rumos ideal.

*********************************
 
Os mares frios,
ondular de águas,
guarda sua nuvem.

*********************************
 
Uma fonte clara
por vias noturnas,
nasce cor sublime.

*********************************

Semente da flor
ergue cores suave,
ao mapa belo.

*********************************

Um paraíso
no imenso círculo.
dorme pensando.

*********************************

Uma lira soa
canções e silêncio
do mundo, poesia.

*********************************

Vento brando
sopro das origens,
guarda uma flor.

*********************************
 
Virtude feliz,
guarda há chave
da pena histórica.

*********************************
 
Cai há chuva
trazendo pensares,
pra um voo dançar.

*********************************

O tempo se vai
pelas correntes,
que há vida deixar.

*********************************

O amor firme
em cristais brilha
força meigas.

********************************* 

 A força da voz
forma o eu criação.
Plano de origem.

*********************************
 
Dois luzeiros.
Imenso céu livre
encanta jardins.

*********************************

Vento sublime
onde sobe ao canto
vibra nas copas.

*********************************

Laço solto
pelo espaço azul,
leva sua pluma.

*********************************

Brilha hás luzes,
de estrela límpida
de cores únicas.

*********************************
 
Vida vivida,
em sonhos acorda.
Essência pura.

*********************************
 
Amor palavra.
oculto universo,
essência da luz.

*********************************

Tempo fértil,
livre como poesia
pisa arco-íris
.

*********************************

Estações alegre,
nascente vitória
do astro singular.

*********************************
 
Numa rota
os campos Elísio
as cores caminha.

*********************************

Luz Divina,
Eu Inteligência,
no quadro branco.

*********************************
 
Folhas sublime,
repousa na alma,
flor da Aura.

*********************************
 
Sombra de árvores é
quando há noite
pinta o céu feliz.

*********************************
 
Verde manto
poesia em sombra,
descansa há canção.

*********************************

Arco-íris alegre
pelos horizontes.
andas em sombra.

*********************************
 
Estrela branca,
Cosmos de círculos
cobre pensares.

*********************************
 
As nuvens brancas,
sorrindo vence há
dor solitária.

*********************************
 
Pensar no luar
como em um sonhar,
há fitar teu olhar.

*********************************
 
Natureza bela,
poema divino és,
fonte do Ser.

*********************************

Só agora percebo
o valor do olhar.
No bem florido.

*********************************
 
Como teu ser
pisa nesta estrada,
na luz és amor.

*********************************
 
Nasce na noite
em que há cidade dorme,
há luz do sol.

*********************************

Noite dos sonhos.
das estrelas múltiplas
acordaram o dia.

*********************************
 
Claro monte,
alto como um céu,
os astros nascerá.

*********************************

O verão chegou
qual sol nos verdes campos,
ascende as cores.

*********************************
 
Meu sonho é filho,
meigo pensar da criação
sendas da pureza.

*********************************
Primeiro pensar
fé que produz vida,
verbo a formar. 

*********************************

Lírica alma
que pensa ao sentir
seu belo mares.

 *********************************

O mar que flutua
ergue a voz sublime,
o canto da brisa.


*********************************
Canto sublime,
poema do universo
é fonte do Ser.

*********************************

A luz refletir,
alma que contempla
mundo interno.
 *********************************
Pensa no bem,
na ordem da hora,
é ofício na ação.
*********************************
Dentro de você
flui um paraíso.
A casa de luz.
*********************************
Meu passado,
solidário a chuva ,
vive no jardim.
*********************************

Alma bela
no orvalho reflete,
qual sonho real.


*********************************
Poeta ao violão,
arte na composição.
Sagrada canção.

*********************************
Cosmos em ordem
a unir seus versos,
caminha a ideia.
*********************************

Alma sublime
poema ao meditar,
pousa teu mundo.
 

*********************************
Ideia primeira,
Pensamento na arte,
cantas no luar. 
*********************************
Jardim de poesia
plantas na alvorada
teu mar de luz.

*********************************
 
Condillac 
o pensador afirmava que uma Ideia geral e abstrata em nosso espírito é apenas um nome.